idosos

Senhor,

tu sabes melhor do que eu
que estou envelhecendo a cada dia.
Livra-me, Senhor, da tolice de achar
que devo dizer algo em toda e qualquer ocasião.

Livra-me, também, Senhor,
deste desejo enorme que tenho
de pôr em ordem a vida dos outros.
Ensina-me a pensar nos outros e a ajudá-los,

sem jamais me impor sobre eles,
mesmo considerando com modéstia
a sabedoria que acumulei
e que penso ser uma lástima não passar adiante.

Sabes, Senhor, que desejo preservar alguns amigos
e uma boa relação com os filhos
e que só se preservam os amigos e os filhos
quando não há intromissão na vida deles.

Livra-me, também, Senhor,
da tolice de querer contar tudo com detalhes
e dá-me asas para voar diretamente ao que interessa.
Não me permitas falar mal de alguém.

Ensina-me a fazer silêncio sobre minhas dores e doenças.
Elas estão aumentando e, com isso,
a vontade de descrevê-las vai crescendo a cada ano.
Não ouso pedir o dom de ouvir com alegria
a descrição das doenças alheias; seria pedir muito.

Mas, ensina-me, Senhor, a suportar ouvi-las com paciência.
Ensina-me a maravilhosa sabedoria de reconhecer
que posso estar errado em muitas ocasiões.

Já descobri que as pessoas que acertam sempre não existem.
E, sobretudo, Senhor, nesta prece de envelhecimento, eu te peço:
Mantém-me o mais amável possível.

Livra-me de pensar que sou santo.
Ajuda-me a ser santo em vez de pensar que sou.
E que, por meio da minha vida que te pertence,
Tu rejuvenesças sempre mais a mim e a todos ao meu redor!

Assim seja!